Podemos unir a santidade à figura de Fernando Panzo! – Fatima Jardim

Maria Fátima Jardim, confessou-nos que conheceu o Reverendo Fernando Manuel Panzo muito antes de ter sido chamado por DEUS, enquanto trabalhava no Ministério das Pescas, bem antes de assumir cargo de chefia no governo. “Vi quando acendia a chama da sua missão, há muito tempo que eu recebo as suas bênçãos”, reconheceu. 

Fátima Jardim disse estar muito feliz com o crescimento da igreja e do ministério Ebenézer em particular. “O pastor Panzo era um homem de paz, de muito conhecimento, um homem que impunha a moral, e nós precisamos desses valores” admitiu a antiga ministra do ambiente. Convidada ao reencontro da grande família Ebenézer, disse que fez-se presente para prestigiar a passagem de testemunho para o novo líder que deverá continuar a lançar a semente do Reverendo Panzo . “É um homem de DEUS que podemos unir a santidade na sua figura”. 

“Desejamos ao novo pastor sucessos e que promova a coesão, para que o povo angolano possa ter bem-estar e referências de heroísmo como as que o grande pastor Panzo deixou-nos a todos nós”, referiu a deputada que preferiu abandonar a tribuna do camarim VIP para juntar-se a todos os demais convidados na relva do Estádio dos Coqueiros. 

“Ele não era só um homem ou apenas um pastor de igreja, foi trabalhador. Esteve comigo nas pescas e também ajudou-nos nas várias etapas que o país atravessou, desde a procura da paz quando estávamos em guerra, sempre orou a DEUS para que tivéssemos esse sucesso. Hoje estamos em paz e unidos, considerou Fátima Jardim. A parlamentar destacou ainda a importância de todos orarmos para a estabilidade económica dos angolanos, porque a união faz a força e o amor ao próximo fez a Igreja Pentecostal”.

 

Questionada sobre a igreja como parceira do Estado, a deputada foi enfática em dizer que “Esta Igreja absolutamente sim, trabalhei com várias igrejas para a promoção de actos de civismo e de cidadania e também em matérias de direitos humanos e particularmente esta tem demostrado bastante empenho sobretudo para que a participação dos cidadãos seja uma expressão de exemplo. 

Fátima Jardim destacou o engajamento do Reverendo Panzo na ajuda com orações a favor de vários políticos angolanos para que em cada fase se escolhesse as pessoas certas para os momentos certos. É uma pena, lamentou a deputada, que ele não pudesse testemunhar a transição pacífica que o país está a viver. 

 

“Ele deixou uma mensagem de harmonia, nós temos que acabar com o ódio, com a violência, com a falta de amor ao próximo e seguir o exemplo do pastor Panzo cuja dimensão ultrapassou a sua actuação religiosa para poder ser um exemplo de cidadania”. 

Ele deixou uma igreja crescida, que sempre primou pela lei e com uma ampla parceria com o governo e com a sociedade civil. O Reverendo trabalhou muito para a construção da democracia, onde cada um dos cidadãos pudesse se expressar.  

 

“Eu conheci! Era alguém que se afirmou como africano que levava o continente para outros cantos do planeta onde teve oportunidade de se expressar. Isso prova que esse ministério ultrapassou as nossas fronteiras e demonstra que os angolanos podem levar a nossa cultura e a afirmação do nosso povo na luta pela igualdade entre todos. O pastor Fernando Manuel Panzo era esse exemplo de cidadão que promovia isso além fronteiras”. 

Maria de Fátima Jardim, concluiu desejando parabéns ao ministério Ebenézer e que continue com a obra deixada por alguém que na sua óptica era um Santo homem de DEUS.

 

Entrevista : José Kundy

 

Comente

Instagram did not return a 200.