Não existe avivamento sem oração – Jorge Munjenje

Jorge Jacinto Munjenje é também conhecido como o missionário da Oração.
Destacado obreiro da JOCUM (Jovens Com Uma Missão) já esteve a servir a DEUS para além de Angola em países como Namíbia, África do Sul, Zâmbia e Moçambique como missionário e líder de treinamento e discipulado. Pregador eléctrico, cheio de ânimo e fé, contou a Revista Supremo sobre as memórias que guarda dos melhores tempos que já viveu em Benguela nos tempos em que considerou que havia AVIVAMENTO na província.

Revista Supremo (RS): Quando falamos de avivamento, falamos de oração, de pessoas que subiam os montes na ânsia de buscarem a Deus. Qual é a visão que tem sobre o avivamento?

Jorge Munjenje (JM): Avivamento tem muito a ver com a volta para Deus. Quando o povo se volta pra Deus, esta atitude de se voltar com mudanças visíveis na vida do povo podemos chamar de avivamento.

O avivamento é a intervenção de Deus no ser humano com o objectivo de ele se voltar para ELE. Há elementos que atraem isto, a oração é um deles, a bíblia diz que nos últimos dias Deus derramaria do seu Espírito sobre toda carne, o contacto da intervenção de Deus no físico do ser humano, isto resulta uma mudança, e quando isto provoca uma vontade para se voltar para ELE, isto é um avivamento.

RS: Avivar significa voltar a dar vida?

JM: Claramente! Porque na história sempre houve situações em que Deus levantou pessoas diferentes no seu estilo de vida, que sua dedicação a Deus, se tornaram como que se modelo para as outras. Portanto avivamento não tem nenhum esforço humano, mas sim o próprio Deus que te escolhe a voltar para ELE e se tornar espelho e as pessoas seguirem.

A questão é que as pessoas dão significados nas coisas por ouvir falar, mas quem dá o verdadeiro significado é o próprio Deus.

O conhecimento que as pessoas têm do avivamento é a oração, e a oração é o meio de voltar para Deus, não quer dizer que é avivamento. A oração não é avivamento, porque a bíblia diz que derramarei o Espírito de Oração e de bondade, quando um lugar tem avivamento sempre tem oração.

A oração é marca de Deus na pessoa, a bíblia diz que o Espírito de Deus intercede por nós, quando alguém se volta para Deus a marca é a oração e depois quando a pessoa começar a orar precisa ter outra marca, que é a bondade.

Portanto não existe avivamento sem oração e sem bondade, não existe. Quando num lugar tem avivamento, sempre vai estas duas marcas. Porque é uma manifestação visível de Deus.

O Espírito Santo sendo o líder da oração, quando nos voltamos para Deus é ELE que vai nos acompanhar. Porque o Espírito Santo ora, sempre teremos oração, porque precisamos chegar a Deus em Oração, e quando saímos da oração, seremos bondosos.

RS: Benguela já viveu momentos de avivamento? Quais são as marcas destes tempos?

JM: Sim viveu! Quando o avivamento vem ele não quer saber quem somos, qual denominação pertencemos, nossa posição social, porque a pessoa só quer Deus, ela volta para o seu criador e Benguela experimentou isto, quando aconteceu as pessoas só queriam Deus, só queriam aconselhar, pregar e viver tudo que tem a marca de Deus.

RS: E sente que este vento passou?

JM: Este tempo passou! Porque quando a oração é feita em um lugar significa que ele abrange todo mundo, existem países que experimentaram o avivamento, começava na igreja e se estendia até a sociedade, as pessoas oravam não porque desejavam, mas pelo contrario, as pessoas oravam porque a presença de Deus era tão real que lhe compelia a orar, e Benguela viveu isto.

RS: sente saudades destes momentos?

JM: Sem duvida alguma!

RS: Sabemos que foi participe deste tempo, quando foi?

JM: Estamos a falar do ano de 1997 a 1999, Benguela era como se um celeiro, os de Luanda, do Sumbe e Lubango vinha orar aqui.

Porque onde há avivamento as pessoas são atraídas sem qualquer publicidade.

Hoje o lugar onde podemos encontrar este movimento é Lubango e Luanda, porque o avivamento, como disse, vai além da denominação e Benguela viveu isto, eu sinto saudades destes momentos, porque trazia as pessoas a oração. Havia uma vontade sobrenatural nas pessoas à oração e quem faz isso é Deus.

RS: O que que afasta o avivamento num lugar?

JM: A falta de união! Porque a união é uma marca de Deus, quando nos tornamos unidos estamos a invocar a Deus e ELE se manifesta na unidade. A bíblia diz que não devemos entristecer o Espírito Santo, e a divisão afasta a Sua Presença.

RS: Sendo jovem, que desafio lança aos jovens para redescobrirem a sede de orar? Existem alguns sacrifícios que sejam consentidos para quem deseja ser usado por Deus?

JM: A única coisa que uma pessoa recebe de graça no reino de Deus é a salvação, mas todas as outras coisas exigem sacrifícios.

Receber a salvação é muito fácil, mas manter exige de nós renuncia.

Quando recebemos a salvação, automaticamente perdemos os nossos direitos, já não vivemos a nossa vontade porque ela depende de Cristo. Se os jovens desenvolverem está visão, está mentalidade de não é mais ele, mas sim Cristo, nunca jamais deixará de servir a Deus. Os jovens seguem algo sem saberem, por causa disso se frustram e desistem, mas devem perceber que servir a Deus é um grande privilégio. Ser eleito por ELE, para LHE servir é uma grande honra é como se tivessem a te coroarem. A Bíblia diz que muitos são chamados, mas os escolhidos sãos poucos, logo é uma honra servi-LO.

Por tanto o meu conselho para os jovens, é que leiam a palavra, porque não se aconselha a ter uma vida de oração continua sem ler a palavra. Porque se orar sem a palavra vai fazê-lo mal e se meditar sem ter uma vida de oração vai interpretar mal, porque a palavra e a oração devem andar juntos.

A bíblia diz que ore, porem com fé, que quer dizer que a oração precisa da fé e a isto apenas vem pela leitura da palavra e ainda diz que Jesus é o autor e consumador da fé, a oração sem fé não tem efeito nenhum e a oração de um justo tem muito efeito, este justo que a bíblia se refere não quer dizer a sua justiça, mas a pessoa de Jesus na tua vida que te justifica e fazemos uma oração da pessoa de Jesus.

RS: Fale-nos dos sacrifícios para uma vida com Deus, fala-se da unção, mas não dos sacrifícios, será que Jesus já orou e não precisamos mais de orar?

JM: Nós podemos olhar para vida de David que quando foi eleito Rei de Israel, ele nos mostra que a unção na vida de alguém depende do tempo e da vontade de Deus, então ELE pode te escolher e te ungir, mas apenas é activada no tempo de Deus e o que nós precisamos manter está a Unção.

Eu estou aqui sou missionário, pregador da palavra e não escolhi, Deus decidiu. Quando alguém pede para ser ungida por Deus, eu não sei se Deus responde aquela oração. Porque o trabalho de Deus é bem organizado e bem arquitectado, se vieres com os teus projectos será aniquilado.

Os sacrifícios são simples, mas para aqueles que já estão acostumados a está vida, para os que ainda não estão, não é facial, veja a vida de David, os sacrifícios que fazia para ter a unção. Ele era rei, sacerdote e profeta, não significa que foi ungido conforme alguns dizem, que ele foi ungido com a unção de rei, profeta e sacerdote, eu não concordo, porque que não concordo? Porque todas as vezes que Samuel vinha, ele sempre dizia eu te ungirei como rei de Israel, podemos ver que a unção ela é especifica, para um determinado ofício.

David desempenhou o trabalho de sacerdote, porque ele era amigo de Samuel que era sacerdote, por isso quando David entrou no tempo e comeu os pães que eram apenas para os sacerdotes, não teve punição por ter tocado e David também profetizava, e não era porque foi consagrado com profeta, mas porque quando Saul lhe perseguiu, ele fugiu para a casa dos profetas e ai havia uma unção para profetizar e imagina Saul perto do local profetizou e quanto mais David que está lá dentro da casa, por isso quando ele profetizava as coisas aconteciam.

Por tanto sacrifícios são estes, é precisa escolher bem os lugares para onde vamos, porque existem alguns que não se aconselha a frequentar, porque a filosofia que é ensinado naquele lugar, pode fazer confusão aos princípios que já conhecemos na palavra, este é o primeiro o segundo sacrifício é o estilo de vida da leitura da palavra, o indivíduo precisa de uma cosmovisão bíblica plena, mas isto não te excluiu de meditar todos os dias.

Davi diz no Salmos 119, que ele vigiava noite inteira para meditar na palavra, agora imagina vigiar para meditar, isto é o sacrifício de manter o que Deus te deu, porque ELE não tira o que já deu, por isso o diabo faz o que faz, mas sem manter o com o combustível da palavra de Deus, porque ela é uma electricidade sem volto, porque ela faz o que apraz a Deus e nunca volta em vão.

Todos aqueles que receberam a palavra e ainda não se vê frutos é porque o tempo ainda não chegou, porque quando for a altura ele vai vir a correr, por isso nós os pregadores das palavras precisamos meditar na palavra.

Então os sacrifícios são estes, evitar lugares onde Deus não está, ter uma vida de meditação na palavra e oração, a Bíblia diz que Davi orava três vezes ao dia, o mesmo que Daniel.

RS: Uma última pergunta, o quê o monte lhe diz?

JM: Existem dois mundos, o físico e o espiritual e o físico distrai muito, as pessoas vão ao monte para elas não se concentrarem no mundo espiritual, um dos benefícios do monte é para evitar a distracção.

RS: Alguma outra coisa que deseja falar sobre a oração?

JM: A bíblia diz que minha casa será chamada casa de oração e também que a minha casa é a porta do céu, então podemos perceber que há um lugar especifico de oração e este lugar é a porta aberta de Deus, então quem ora a porta já está aberta, como diz em apocalipse: “EU tenho a chave e a porta que abro ninguém fecha e a que fecho ninguém abre” e a uma porta aberta, está a se falar de oração.

Não existe ministério sem oração, nem igreja sem oração. Uma das marcas da igreja de actos era a oração, porque todas as pessoas que oram muito eles têm uma posição no mundo espiritual, então por está posição, não olham o físico com seus olhos naturais, mas com os espirituais, por isso o físico não é uma barreira para eles, porque sabem que os olhos naturais vão leva-los a temer e Deus permite que eles enxerguem com os olhos espirituais.

A pessoas que oram porque vêem alguém a orar, outros Deus lhes levantaram para orar e há diferença entre quem ora por causa de uma necessidade e aquelas porque Deus lhes chamou a orarem, quando Deus te escolheu, mesmo que não quiseres orar, vais orar.

Apostolo Tiago diz que a oração é uma receita para sair da aflição, e Paulo em efesios no capitulo 6 diz: a oração é uma arma de guerra, para lutar nas regiões celestiais e o diabo conhece o poder que há na oração, mas o povo não sabe por isso despensa a oração e as munições desta arma é a palavra, e Davi sabia e por isso dizia, renova as minhas forças conforme a tua promessa, quer dizer que ele usava a oração com as munições da palavra, então a oração e a palavra são armas para guerreirar no mundo espiritual.

Entrevista: José Kundy

Fotografia: Ailton Silva

Comente

Instagram did not return a 200.