Eu Fui Muito Humilhado! – Nsimba Makiese

É actualmente o fenómeno da música Gospel em Angola. Lançou na praça da Independência no dia 25 de Abril o seu primeiro disco intitulado “Me dá só Samuel” e atingiu a fasquia muito rara na venda de discos de música evangélica em Luanda, cinco mil discos. 

A Revista Supremo entrevistou o músico que tem agora em agenda a sua primeira actuação internacional a acontecer na República da África do Sul.

José Kundy (J.K): O que é que te inspira para cantar?

Nsimba Makyesse (N.M): Eu comecei a cantar desde criança, desde os meus doze anos que me recordo, a minha mãe dizia sempre que mesmo mais menino eu cantava e até houve vezes em que acordava as quatro horas da madrugada para cantar. Lembro que uma vez num culto de adultos eu cantei e o pastor disse que a minha música mudou o tema da sua mensagem. Ele perguntou depois de pregar de quem eu era filho, porque DEUS iria me abençoar. Ele perguntou a minha mãe o que queria que eu fosse no futuro e a minha mãe respondeu-lhe, queria que eu fosse pastor. Ele orou por mim e declarou a bênção, dizendo que eu seria mais do que apenas um pastor.

J.K: Tu nasceste mesmo em Luanda?

N.M: Eu nasci em Luanda, no Cacuaco, vivíamos próximo do colégio Sacriberto. Depois nos mudamos para a Mabor, depois seguimos para o Hoje-Ya-Henda e actualmente vivo no Zamba 2, mas os meus pais são do Mbanza Congo província do Zaire. Sou do ministério Maculusso, 

J.K: Fala-nos do teu disco Me dá só Samuel, porque esse título?

N.M: Meu Deus! É muito profundo isso. Eu passei por dificuldades na minha vida. Fui muito humilhado mas Deus me mandou entrar na época num jejum de três dias. O Senhor me disse que me revelaria coisas que eu não sabia. Aceitei e durante o Jejum me veio a música me dá só Samuel, eu ouvia isso em meu coração, quando fui a Bíblia pesquisar um pouco mais encontrei a revelação. A Bíblia diz que Ana precisava de um filho que não fosse só para ela, era o que se passava comigo também, eu queria algo de Deus que não fosse só para  mim, mas que outras nações também possam receber. Graças a Deus o Senhor me respondeu e hoje em dia os resultados são muitos. 

J.K: Ainda tem discos a venda?

N.M: Já não tem, apesar da divulgação ter sido muito fraca DEUS nos surpreendeu e conseguimos vender cinco mil CD´s. Não é muito fácil com uma publicidade fraca como foi a nossa, só mesmo a graça de DEUS.

J.K: Qual é o teu segredo:

O segredo é a oração, o sacrifício e a humildade. A santidade é a chave de tudo isso. Eu me lembro de um sacrifício de jejum de cem dias, comia apenas as 18 horas. Continuo com os meus sacrifícios, porque o sucesso não pode me impedir de me sacrificar em buscar a face do Senhor. Eu quero chegar mais além.

J.K: Quais são os testemunhos que já ouviste sobre o impacto do teu disco?

N.M: Oh meu DEUS! São muitos. Tem um papa que já não está no mundo dos vivos e que a sua alma descanse em paz, na altura ele me disse que eu queria muito ouvir os teus louvores, eu me converti ouvindo eles e agora me sinto preparado posso morrer. Ele se converteu ouvindo o meu CD, glorifico a DEUS por isso, muitas pessoas me dizem que se converteram ouvindo os louvores do meu disco. Também tem testemunhos de mulheres que estão a conceber, alguns estão sendo libertos ouvindo as minhas músicas e louvo a DEUS por isso.

J.K: Tinhas noção que seria este o impacto:

N.M: Não. Hoje até kuduristas estão a testemunhar a bênção que é o CD.

J.K: Fala-nos da sua primeira viagem internacional como músico Gospel?

N.M: Ai meu DEUS!!! Esse álbum me trouxe surpresas que eu não contava, alguém ouviu o meu CD a partir da África do Sul, um produtor de eventos. Ele esteve cá em Angola pesquisar e gostou do meu trabalho. Formulou-me o convite para ir participar de um concerto Gospel lá na África do Sul, garantiu-me que terei uma premiação lá pelo trabalho humilde que estou a fazer. Assim vou para cantar numa actividade com músicos de Moçambique, de Angola e da África do Sul. O evento acontece dia 27 de Outubro.

J.K: Sabemos que está a preparar o seu concerto. Será para quando?

N.M: A celebração ME dá só Samuel acontece no dia 25 de Novembro no cine Atlântico.

J.K: O que é que quer que aconteça?

N.M: Quero que aconteçam conversões e milagres que eu nunca vi na minha vida. Quero que as pessoas possam sair de lá impactadas, que haja uma nova atmosfera, um novo vento. Os nossos concertos são cultos, tudo pode acontecer. Queremos que comece as 14 horas e termina no máximo as 18:30. Queremos que deixe saudade.

J.K: Quem são os teus convidados para esse concerto:

N.M: Os Filhos do Ngana, Joly Makanda, Fernando Arte, Josaf Joss e Rute Kuniasa. Eles terão o momento deles e eu também terei o meu momento.

J.K: Qual é o versículo que mais admiras na Bíblia?

Hebreus 1:9 Amaste a justiça e odiaste a iniquidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria mais do que a teus companheiros.

J.K: Que conselho deixas aos músicos da tua geração?

N.M: Que haja mais humildade, mais temor a DEUS, e que tenhamos uma vida de sacrifício. Ninguém chega num outro nível sem se sacrificar. Há pessoas que querem sucesso sem sacrifício e é muito complicado. Temos que meditar muito e ouvir muito sobretudo aos pais espirituais. O meu pai espiritual é o Dr. Patriarca Metushelá.

Comente