Encontro da familia Ebenezer

“O povo deve saber o que fazemos com os dinheiros que recolhemos nas igrejas”

O encontro de membros em comunhão a nível de toda a família EBENEZER é anual. Uma ocasião para se aferir as igrejas que honraram os seus compromissos com o ministério. Com 78 igrejas, consubstanciadas em vários centros, congregações e subcongregações sob a visão da Igreja Matriz, o encontro serviu para a apresentação do relatório financeiro do ministério de 2019.

“O povo deve saber o que fazemos com os dinheiros que recolhemos nas igrejas”, foi com essas palavras que o líder do Ministério EBENEZER, Gedeão Augusto Panzo se referiu após a conclusão da apresentação do relatório financeiro da família EBENEZER. O pastor presidente, afirmou categoricamente que o ministério vai continuar com a transparência. “Vamos dar oportunidades aos membros para trazerem contribuições e críticas construtivas para o avanço da obra do SENHOR”.

Um dos lemas do ministério bastante popular foi lembrado, “Eu tenho uma missão e nessa missão estou proibido a falhar”, um slogan repetido várias vezes entre os membros durante momentos diferentes do culto.

Segundo Gedeão Panzo, o novo desafio é fazer do “EBENEZER a continuação de um legado para as próximas gerações.

 O líder do ministério EBENEZER enfatizou que um dos grandes desafios da igreja é quebrar o tribalismo, o regionalismo e outras barreiras no corpo de CRISTO. “O maior objectivo é a glorificação do nome do SENHOR”. De acordo ao relatório estatístico o ministério apresentou 646 obreiros, 10.865 Membros Baptizados e 34.760 membros não baptizados, totalizando 45.625 membros.

Para Cristo o ministério ganhou 2.059 almas ganhas em 2019. 16 viúvas receberam assistência o ano passado.

Quanto a formação teológica foram 131 graduados no curso básico e 60 no curso médio. Os cursos tiveram duração de 6 à 8 meses de teologia. O próximo desafio será a formação superior de cada um dos membros acabados de terminar os cursos.

A mensagem dos finalistas da escola teológica do curso de 2019, foi apresentada por Adão Domingos Tavares. Considerou em nome dos colegas que “a formação não foi fácil, mas possível”. Fez referência a gratidão pelos esforços consentidos pelos 32 docentes que contribuíram para o êxito da formação. Citou Provérbios 18-15 para reforçar a sua mensagem.

A mensagem dos finalistas trouxe um apelo a liderança do ministério, “que se criem melhores condições para os próximos formandos”.

Aos agora formados o presidente do ministério pediu que mantenham a humildade, pois uma ave não consegue voar só com uma asa. É necessário nessa jornada o conhecimento que acabaram de aprender, mas é igualmente preciso graça, é da combinação dessas duas que se serve a DEUS com excelência, disse. Parafraseou que JESUS crescia em sabedoria e conhecimento, por essa razão é necessário que se continue a crescer em conhecimento, mas acima de tudo que haja graça. Depois dessa pequena exortação, Gedeão Panzo orou pelos professores e recém-formados da escola teológica.

A entrega de certificados foi a tónica mais alta desse momento, Afonso Pitra foi o primeiro a receber do pastor presidente o seu certificado.

Um evento com vários momentos, como o caso da tomada de posse dos novos membros do conselho do ministério, louvores dos vários grupos e a santa Ceia da Família Ebenezer.

Comente